Instituto Missionário dos Filhos e Filhas da Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo e das Dores de Maria Santíssima

 

07 de novembro

São Vilibrordo

Na galeria dos grandes missionários da Igreja ocupam lugar de destaque os grandes apóstolos do norte da Europa, que no século VIII civilizaram as tribos bárbaras com o fermento evangélico. São os Santos Columbano, Vilibrordo, Vilibraldo e Bonifácio.

Hoje comemoramos São Vilibrordo, chamado o apóstolo dos frisões e primeiro bispo de Utrecht, sede primaz da Holanda. Este santo nasceu na Inglaterra de família cristã. Seu pai, São Vilgide, entregou Vilibrordo, na tenra idade de cinco anos, como oblato no mosteiro de York. Aí foi educado e, crescido, decidiu abraçar o estado monástico. Passou para a Irlanda, a pátria dos monges, a fim de receber melhor formação monástica. Ficou nove anos, ao findar dos quais, foi ordenado sacerdote.

Em 690, foi enviado como missionário, junto com outros nove colegas, para a evangelização dos frisões, bárbaros que viviam na Holanda, estendendo-se em direção à Dinamarca. Foi bem escolhido pelo rei franco Pepino, que lhe confiou como campo de apostolado a região mais ao leste. Aí viviam povoações muito hostis ao Evangelho e em contínuas revoltas, pois tinham sido subtraídas, havia pouco, da dominação do duque Ratbodo, pagão persistente.

Vilibrordo, após uma experiência de apostolado, realizou uma viagem a Roma, a fim de receber apoio do Papa Sérgio I, que muito o animou e presenteou-o com relíquias de santos mártires para serem colocadas nas futuras igrejas entre os frisões. Alguns anos mais tarde voltou para Roma, a fim de relatar ao papa seus sucessos, suas dificuldades e seus planos. O papa, reiterando seu apoio, quis sagrá-lo bispo, acrescentando ao seu nome um nome latino: Clemente.

Continuando em seu árduo apostolado, Vilibrordo fundou sua primeira sé episcopal em Utrecht, construiu a catedral, dedicando-a ao Santíssimo Redentor. Coadjuvado por seus monges, Vilibrordo fez rápidos progressos na conversão da Frísia, passando depois para a Dinamarca e a região da Turíngia.

Com a morte do rei franco Pepino, seu protetor, o duque pagão Ratbodo, reconquistou parte do território perdido na Frísia, fato que obrigou Vilibrordo a se afastar da região e retirar-se para perto de Treves onde anteriormente tinha fundado um mosteiro que se tornou viveiro de novos apóstolos. Morto pouco depois o duque Ratbodo, Vilibrordo voltou para a Frísia e, ajudado alguns anos pelo futuro apóstolo da Alemanha, São Bonifácio, conseguiu consolidar a evangelização entre os povos do norte da Europa.

Alquebrado pelas fadigas apostólicas, vendo aproximar-se o fim de sua longa existência, Vilibrordo retirou-se ao mosteiro de Echternach sobre o rio Reno, onde veio a falecer no dia 7 de novembro de 739, com oitenta anos de idade, cinqüenta dos quais consagrados à evangelização.

Ainda hoje, por ocasião da festa de Pentecostes, celebra-se em sua honra uma procissão folclórica muito característica.

Dele foras escritas várias biografias por seus discípulos, de tal modo que sua vida foi amplamente documentada, como bem merecia este gigante missionário.